Frigoríficos de menor porte atuaram com maior agressividade na compra de gado neste início de semana

02 de março de 2020 às 19h18

Por Agência Safras


O mercado físico do boi gordo teve preços mais altos nesta segunda-feira. O analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, avalia que os frigoríficos de menor porte se deparam com escalas de abate bem apertadas e, nesse sentido, atuaram com maior agressividade na compra de gado neste início de semana. 


“A perspectiva de aquecimento da demanda ao longo da primeira quinzena do mês justifica a elevação nos preços. Já os pecuaristas seguem aproveitando as ótimas condições das pastagens para reter os animais pelo maior tempo possível no campo”, assinalou. 

Em São Paulo, capital, os preços do mercado à vista seguiram em R$ 203 a arroba. Em Uberaba, Minas Gerais, os preços passaram de R$ 194 a arroba para R$ 196 a arroba. Em Dourados, no Mato Grosso do Sul, os preços subiram um real, para R$ 194 a arroba. Em Goiânia, Goiás, o preço indicado ficou em R$ 195 a arroba, ante R$ 193 a arroba na sexta-feira. Já em Cuiabá, no Mato Grosso, o preço passou de R$ 184 a arroba para R$ 185 a arroba. 

Atacado 

Já no mercado atacadista, os preços continuaram estáveis. “A tendência de curto é de alta nos preços, mesmo que comedida, avaliando a reposição mais rápida entre atacado e varejo, típica se tratando de uma primeira quinzena de mês, quando a entrada da massa salarial na economia aquece o consumo”, disse Iglesias. 

Assim, o corte traseiro seguiu em R$ 14,25 o quilo. A ponta de agulha permaneceu em R$ 11,40 por quilo. Já o corte dianteiro seguiu em R$ 12 por quilo. 

Preços do boi sobem com escalas apertadas e boas condições do pasto